A Páscoa na visão do Vedanta

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Jesus de Nazaré (4 a.C. – 33 d.C.), o Cristo

Jesus de Nazaré (4 a.C. – 33 d.C.), o Cristo

» por Andrês De Nuccio, do Instituto Ísvara, de Campinas (SP)

Vedanta é uma tradição que vem preservando e transmitindo, de geração a geração, o conhecimento da real natureza daquela parte de nosso ser que chamamos de Eu.

Num sentido amplo, Vedanta é todo ensinamento que leve o estudante a uma apreciação correta de sua própria natureza.

A nossa cultura nos transmitiu conceitos a respeito do que somos, através de nossos pais, professores e adultos significativos na infância, e através da televisão, jornais, e demais mídias formadoras de opinião na vida adulta.

Ao longo da nossa vida, fomos construindo respostas para a pergunta básica e fundamental: “quem sou eu?”. E essas respostas nos levam a viver do modo como estamos vivendo.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

O que é Vedanta?

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Cristiano Bezerra estudando Vedanta com a Profª Gloria Arieira em maio de 2007. Foto por Denise Mustafa.

Cristiano Bezerra estudando Vedanta com a Profª Gloria Arieira em maio de 2007. Foto por Denise Mustafa.

» por Gloria Arieira (1953-), do Vidya Mandir

O homem é consciente de si mesmo, de um ser que é incompleto. Essa auto-apreciação é peculiar ao homem, visto que, sendo consciente, ele é também consciente das próprias imperfeições, o que dá origem ao descontentamento. Assim sendo, a vida de um dado indivíduo é governada por desejos, que estabelecem o fato dele não estar à vontade consigo mesmo.

Desejos diferem de indiví­duo para indiví­duo. Não existem duas pessoas com o mesmo grupo de desejos. Cada um cultiva desejos particulares ao ser influenciado pelo meio cultural e pelas condições de vida em que nasce e se desenvolve.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Aqui e agora » Robert Broughton fala sobre a consciência do momento presente

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

» por Renata Reif

Robert BroughtonAssim que a entrevista começou, senti que havia algo no ar, que era possível identificar, porém difí­cil de codificar. A sí­ntese de seus ensinamentos é simples.

Meditação é permitir que os pensamentos passem pela mente naturalmente, como as nuvens no céu. Para conseguir esse controle, escolha um lugar que você possa ficar 15 minutos parado. Silêncio absoluto não é necessário, mas opte pelo mais quieto e tranquilo que conseguir. Sente em uma posição que garante que você não vai sentir desconforto, mas sempre alerta. Deitar não é recomendado porque é mais fácil de adormecer. Mantenha espinha ereta. As costas podem ficar apoiadas numa cadeira, ou contra a parede. Mas é sempre preferível manter a postura sem apoio.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...