Benefícios de paschimottanasana, segundo Lino Miele

Compartilhe esse conteúdo por meio do

Paschimottanasana, em desenho por John Scott

Paschimottanasana, em desenho por John Scott

» por Lino Miele (1)

É de suma importância controlar mula bandha e uddiyana bandha ao se praticar paschimottanasana, a postura de alongamento das costas voltadas para o poente. Nas flexões extremas, o ar penetra os pulmões com alguma força. Quando os dois orifícios (um no ânus e o outro na saída do trato urinário) são mantidos fechados como em mula bandha, o ar é capaz de estimular o sushumna nadi. A inspiração (prana vayu) e a expiração (apana vayu) aumentam o fogo abdominal (agni), auxiliando na purificação dos órgãos internos. O fígado, o baço, os pulmões e os rins exercem papel importante na limpeza do sangue, o que é vital para uma boa saúde. Um suprimento fresco de sangue ricamente oxigenado para a área abdominal, lugar onde se iniciam todas as enfermidades, mantém os órgãos limpos, saudáveis e fortes. Paschimottanasana também age de maneira benéfica sobre o nervo vago, fortalece e purifica o corpo inteiro, incluindo o coração, e torna o corpo firme, sem excesso de gordura.

Paschimottanasana A, B, C e D, em desenho por John Scott

Paschimottanasana A, B, C e D, em desenho por John Scott

  1. Texto extraído da página 40 do livro Astanga Yoga (1996, 2009), de Lino Miele, com tradução de Regina Ehlers, Editora Jaboticaba, São Paulo, e digitado por Cristiano Bezerra em 10 de abril de 2011. []
Compartilhe esse conteúdo por meio do

Comentários

Benefícios de paschimottanasana, segundo Lino Miele — 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.