Hermógenes – Deus me Livre de ser Normal (2005)

Compartilhe esse conteúdo com alguém...
0 Flares 0 Flares ×

Deus me Livre de ser NormalA vida e a obra do Professor Hermógenes, mestre de Yoga, escritor e poeta, um dos introdutores do Yoga no Brasil.

A partir de depoimentos de personalidades como a cantora Elba Ramalho, o escritor Pierre Weill, o teólogo Leonardo Boff, os artistas multimí­dia Rogério Duarte e Bené Fonteles, os espí­ritas Chico Xavier e Divaldo Franco, o padre católico Zezinho e o músico Alberto Marsicano, bem como de presidiários e outros que ao longo dos anos travaram contato com suas idéias, o documentário desvela a visão de mundo particular de Hermógenes, assim como do Yoga que ele desenvolveu no paí­s.

Violência, depressão, angústia, ansiedade, medo, solidão, hipocondria, dependências quí­micas, estresse, cardiopatias, egoí­smo, psicose, neurose, diabete, hipertensão, paranóia, câncer, AIDS. Esse é quadro patológico da humanidade. Reconhecer a raiz mestre de tanta dor e sofrimento, administrar o estresse, treinar o corpo, a mente e o espí­rito para a superação dessa ausência de Vida é o que o mestre de Yoga, escritor e poeta Professor Hermógenes – ao longo de meio século de estudos e experiências – vem ensinando, libertando assim indiví­duos do caos, do suicí­dio, das doenças, da alienação, da prisão material e da morte.



Hermógenes em foto de Albrecht Gerlach para Vida Simples nº 15, de abril de 2004Hermógenes – Deus me Livre de ser Normal é o tí­tulo do documentário sobre a vida e o poder terapêutico e transformador da obra desse escritor. Acomodar em 55 minutos os 84 anos de uma vida dinâmica e devotada í  prática do bem é a principal virtude do filme, roteirizado e dirigido pelo fotógrafo Marcelo Buainain.

Nas primeiras cenas, Hermógenes é apresentado em contato com a exuberante natureza da cidade onde nasceu e gozou a sua infância, a bela Natal, capital do Rio Grande do Norte. No decorrer de uma narrativa poética e autobiográfica, interpretada na voz off do ator Carlos Vereza, o mestre em Yoga caminha sobre as dunas, e nas águas do litoral potiguar mergulha e medita. Uma sucessão de depoimentos, frases e detalhes da vida de Hermógenes costuram e entrecortam a narrativa poética, revelando assim vários aspectos biográficos desse grande mestre, considerado o introdutor do Yoga no Brasil e o pioneiro em Medicina Holí­stica.

O roteiro e a montagem do filme impregnam uma dinâmica especial, principalmente pelo valor emocional e pela fidelidade documental atestada por personalidades de diversas áreas, tais como a cantora Elba Ramalho, o escritor Pierre Weill, o teólogo Leonardo Boff; os artistas multimí­dia Rogério Duarte e Bené Fonteles; os espí­ritas Chico Xavier e Divaldo Franco, o padre católico Zezinho e o músico Alberto Marsicano, entre tantos outros que declaram e elucidam a importância da obra de Hermógenes para a humanidade.

O filme é estimulante quando mostra como os livros do professor Hermógenes e as suas técnicas de Yogaterapia provocam transformações nas vidas das pessoas. Cartas de leitores, reportagens em um abrigo de idosos, depoimentos de prisioneiros desvelam e confirmam o poder terapêutico do método Hermógenes. Da mesma forma impressionante é o grau de devoção e as aulas de Yoga ministradas no interior de um presí­dio pelo presidiário discí­pulo de Hermógenes, Luiz Henrique Gusson. Outros momentos tão significativos ficam por conta dos depoimentos de pessoas comuns que tiveram suas vidas transformadas pelo Yoga. Elementos como Divaldo Cunha, proprietário de um bar na Paraí­ba, que se libertou da dependência quí­mica através do Yoga; Ramiro Rebouças, que enfrentou uma grave depressão e escapou de um suicí­dio graças í  meditação e aos ensinamentos de Hermógenes; Paulo Roberto, ví­tima de um choque elétrico que o levou í  cegueira, autor de uma das mais incrí­veis confissões do filme: “Com o Yoga encontrei Deus, agora que sou cego eu vejo muito e de verdade; antes, eu via mas não enxergava.”

Deus me Livre de ser NormalDeus me Livre de ser Normal mostra ainda detalhes da vida de Hermógenes em Natal, como o seu primeiro emprego de lanterninha no Teatro Alberto Maranhão; sua devoção pelas dunas; sua passagem pelo exército; sua migração da pobreza para a beleza interior. A vida do mestre yogi que saiu das alvas dunas de Natal e alcançou o mais alto pico do Himalaia pode ser resumida na feliz frase do orador espí­rita Divaldo Franco, “a sua vida é um apostolado”. Assistindo atentamente a tão belo filme, percebe-se um fio condutor entre todos os depoimentos, fio esse que carrega com positiva eletricidade, a certeza de que ele, o professor Hermógenes, atingiu a meta.

Adquira o seu exemplar desse DVD em www.culturamarcas.com.br

Currí­culo resumido do diretor

Marcelo BUAINAIN nasceu a 11 de Dezembro de 1962, na cidade de Campo Grande, MS. Ex-acadêmico de Medicina, abandonou o 5º ano do curso para se dedicar exclusivamente í  fotografia, consolidando então uma trajetória edificada em diversas áreas. Em meados de 80, quando dava os primeiros passos profissionais, í  serviço da publicação espanhola EL Paseante, conheceu um vizinho muito especial, o poeta sul mato-grossense Manuel de Barros, cuja obra o inspirou e o influenciou profundamente. Buainain, a partir desse í­ntimo contato com o poeta, elegeu como o seu tema predileto o pantanal, onde ali viveu documentando a exuberância da região. As imagens coloridas produzidas pelo fotógrafo ganharam asas e foram largamente difundidas em publicações nacionais e estrangeiras, contribuindo inclusive na divulgação da obra do poeta “pantaneiro”, na ocasião desconhecida pela mí­dia e grande público.

Anos 90

Frustrado com as diretrizes do governo Collor, Marcelo Buainain deixa o Brasil para se radicar na Europa, estabelecendo-se em Paris e Lisboa, onde viveu 10 anos. Especializou-se em retratos e através de suas objetivas celebridades e diretores do cinema internacional foram fotografadas, destacando-se os cineastas Wim Wenders, Pedro Almodóvar e Bernardo Bertolucci. Em meados da década de 90 o fotógrafo, andarilho e inquieto, troca o universo dos “famosos” pelos anônimos. Buainain se lança de corpo e alma na fotografia documental, percorrendo o Egito, Brasil, Marrocos, Venezuela e Índia, onde realizou uma série de fotografias sobre a cultura Hindu, recebendo por esse trabalho, em 1998, os prêmios Máximo de Fotografia atribuí­do pela II Bienal Internacional de Fotografia da Cidade de Curitiba e a Medalha de Ouro – Society for News Design – USA. Novas incursões pelo oriente foram realizadas pelo fotógrafo, o que o levou a publicar na Europa o seu segundo livro, “Índia – Quantos Olhos tem uma Alma”.

O Redescoberta das Raí­zes Brasileiras

Foi no espí­rito das comemorações do 500 anos de chegada dos Portugueses ao Brasil que Marcelo Buainain realizou um ensaio sócio-étnico-documental sobre o estado da Bahia, culminando assim com uma exposição em Portugal e a publicação do seu 3º livro, “Bahia – Saga e Misticismo”. Segundo o fotógrafo, esse projeto o possibilitou redescobrir suas raí­zes brasileiras, motivando-o a direcionar o seu foco para temas exclusivos de caráter religiosos e ecumênicos. Hoje, a sua obra integra acervos de museus nacional e europeu e tem sido objeto de estudo no meio acadêmico.

Uma nova linguagem

Em 2004 o fotógrafo parte para a sua primeira experiência na área de ví­deo, realizando e produzindo o documentário, Do Lodo ao Lótus, cujo tema trata da transformação espiritual de a partir de um livro de Yoga de autoria do professor Hermógenes. Nesse mesmo ano, no âmbito do II Concurso DOCTV, o roteiro HERMí“GENES – DEUS me livre de ser NORMAL, de autoria de Marcelo Buainain, representa o Estado do Rio Grande do Norte e é selecionado para ser produzido por ele.

Atualmente Marcelo Buainain vive em uma zona rural a 50 km da capital do RN, onde divide o seu tempo entre a famí­lia, a produção de novos documentários, livros e oficinas de fotografia.

Saiba mais sobre esse documentário em www.tvcultura.com.br

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Comentários

Hermógenes – Deus me Livre de ser Normal (2005) — 4 Comentários

  1. Neste site não tem esse DVD. É uma pena. A quantidade de pessoas querendo adquiri-lo é muito grande. Eu não entendo por que pararam de vendê-lo… é uma pena mesmo. Há mais de 1 ano que procuro por lojas que tenham esse DVD.

    • O meu nome é Edvaldo Cunha. Moro em Campina Grande (PB) e realmente, através das práticas de Hatha Yoga, consegui êxito na minha vida, tendo, como mestre iluminado, o meu grande guru, Hermógenes. O reino de Deus está dentro de mim. Observação: onde digitaram Divaldo Cunha é Edvaldo Cunha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.