Introdução do livro Deus investe em você

1 Flares Facebook 0 Twitter 0 Pin It Share 0 LinkedIn 0 Google+ 1 Email -- 1 Flares ×

Capa do livro Deus investe em você, do Professor Hermógenes.

Capa do livro Deus investe em você, do Professor Hermógenes.

» por Professor Hermógenes (1921-2015)

Este livro é mais uma tentativa de estimular pensamento, reflexão e esforço que possam viabilizar a libertação d’Aquilo que, dentro de cada pessoa, cintila como faísca do Supremo Sol, mas que, envolto nos densos véus opacos de todas as manifestações do egoí­smo, é como se não existisse.

Mas existe mesmo, pois é a própria Vida.

Aprendi e tenho certeza: dentro de cada ser humano, o altar de Deus está iluminado pelo Amor, e é reino de pureza e luz, de liberdade e poder, de paz e perfeição.

Sei – e você também sabe – que todo esse tesouro está como que enterrado, e sem vez. É como se não existisse.

O que vemos em cada um, e na sociedade como um todo, é uma espantosa pandemia de dor, uma onda incontida de destruição, uma avalanche de perversão, uma aflitiva onipresença do conflito e do desespero.

Não é só o planeta-azul e sua atônita humanidade, mas cada alma e cada corpo se retorcem neurótica e pateticamente num implodir-explodir desesperado.

Hora de crise final.

Fim de ciclo.

Fim de ilusões.


Fim de uma imensa e irresponsável bacanal alucinante.

Fim-calamidade de uma trágica alienação coletiva.

Como aceitar que, sendo o ser humano a obra máxima da Natureza, a esteja violentamente desfigurando, devastando e poluindo, desde o ar que respira aos alimentos que come, desde a beleza e a bondade até seus próprios pensamentos e sentimentos?

Como, sendo o homem a imagem e semelhança de Deus, se comporta tão diabolicamente? Como vive tão miseravelmente sofrendo, enquanto, enganado, supõe gozar?

Como, estando perdendo, enquanto enganado, acredita estar lucrando?

Como, sendo infinitamente perfectí­vel, se deteriora e se destrói?

Como, tão perto de Deus, chafurda na lama?

Como, dispondo de um instrumento tão precioso – sua mente – a perturba, conspurca e perverte?

Como, programado para a Libertação, se submete imprudente e tragicamente a mil tiranos, desde o cigarro, o álcool, a maconha, aos slogans, à propaganda, às seitas novas, aos “falsos profetas”, à massificação?

Como, sendo o templo do Deus Vivo, não conhece repouso, segurança, paz e felicidade?

Como, tão rico, se debate e se abate na indigência?

Avatares, Profetas, Mestres Divinos, desde recuados milênios, têm vindo viver entre nós, a evangelizar, a ensinar, a propor conscientização, reforma, regeneração, salvação, iluminação e libertação.

Muitos deles padeceram o martí­rio.

E os homens?

Como são estupidamente teimosos, surdos e cegos, obstinados em continuar no escuro e na dor, na morte e na servidão, a rechaçar os divinos convites para a Luz, a Felicidade, a Vida e a Liberdade!

Desejo aqui redizer, relembrar e repetir os clamores dos Sábios e Santos, usando uma linguagem mais acessí­vel aos homens de hoje, numa tentativa de reconvocação para a Verdadeira Vida, de que somos herdeiros.

Proponho uma tomada de consciência, uma lúcida opção por um viver menos dolorido e ao mesmo tempo mais calmo e criativo, mais rico de contentamentos verdadeiros

Convido para um viver conducente à definitiva mudança que infalivelmente (se for possí­vel, urgentemente) cada um terá que realizar.

Mudar por vontade própria é melhor do que ser obrigado a mudar sob o acicate da tragédia.

Você não se apercebeu de que seus tormentos vêm-se aprofundando e se alongando, enquanto suas forças e esperanças minguam?

Não vem notando que o que vem crescendo é o medo, a angústia, a revolta e a possibilidade de uma hecatombe?

Você – se não é uma exceção – terá tido desalentadoras frustrações com os ilusórios remédios mundanos para o seu des-gosto de viver. Ou não?

Se você não é uma exceção, sofre. E, como sofredor, aceite meus parabéns!

Parabéns ao que sofre???!!!

O paradoxo é apenas aparente.

Se, com inteligência e sem fuga, você já chegou à evidência da inconsistência e da irrealidade mesma de todos os remédios, recursos, meios, valores e soluções que o mundo oferece, e, consequentemente, se encontra no libertador estado de des-ilusão, então, eu insisto – “meus parabéns”. Assim, já se livrou de engodos, encantos, mentiras, fascí­nios, que ainda entretêm, retêm ou desviam os medíocres e medrosos, os fracos e apegados.

Se, infelizmente, você ainda não chegou a decepcionar-se com haveres, poderes, prazeres, distrações, curtições, carnavais, bacanais e intoxicações que o mundo pode dar, ainda por um tempo poderá sustentar sua ilusão de ser feliz

Mas quanto tempo isso vai durar?

Não mudemos de assunto: responda para si mesmo – por quantos anos? Ou será minutos?

Não me chame de agourento. Estou somente sendo seu amigo, a alertá-lo dizendo-lhe, com absoluta sinceridade: Sua fortaleza tem paredes de papel.” Tudo o que o mundo dá, depois toma.

Se, por lhe faltar coragem, austeridade e lucidez, preferir fechar as portas da razão e continuar seu festival de ilusões, continue.

Jesus pregando o Evangelho.

Jesus pregando o Evangelho.

O problema é seu. E que problema!…

Continue, mas não se esqueça da estória daquele porquinho que fez sua casa de palha, só para que lhe sobrasse tempo para a farra, que tanto o agradava, mas por fim veio o lobo, e…

Conceda um pouco mais de tempo à minha insistência. Vou transcrever-lhe palavras de Jesus:

“Todo aquele, pois, que ouve essas palavras, eu o comparo a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, vieram as torrentes, sopraram os ventos e bateram com força contra aquela casa, e ela não caiu, pois estava edificada sobre a pedra. Mas todo aquele que ouve essas Minhas palavras e não as pratica, será comparado a um homem tolo, que edificou sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, vieram as torrentes, sopraram os ventos e bateram com força contra aquela casa, e ela caiu; e foi grande sua ruína.”
(O Evangelho segundo Mateus, 7:24 a 27)

Que alicerce tem sua casa? Pense e responda a si mesmo.

Se você me interpelar, perguntando, “então está querendo me inquietar?”, minha resposta é um veemente sim. Quero inquietar você, que insiste em continuar a dormir dentro da cratera de um vulcão. É a melhor forma de expressar minha compaixão por você. Quero inquietar alguém que anda por aí­, se deixando manipular, alienado, modorrento, sem saber que Deus investe nele. Quero lembrar que vem aí­, a qualquer hora, o acerto de contas. Quero, no entanto, também dizer que é possí­vel ser feliz e livre, autêntico e forte.

Este livro é inquietante para iludidos e fujões.

Destina-se aos que já estão começando a desejar libertar-se de excitamentos, fraquezas, condicionamentos, intoxicações, devaneios, futilidades, dependências, baixezas, padecimentos, exaustões e angústias, e já anseiam pela Sanidade, pela Santidade, pela Dignidade, Alegria e Felicidade, as quais, quando vindas do Cristo, não minguam com o tempo, independem de circunstâncias, transcendem a humana compreensão e são invulneráveis a lobos e borrascas.

Este livro não serve aos que se sentem “felizes” e “vitoriosos” só porque se encontram faturando lucros fartos e fáceis das atuais condições de uma civilização frustrada e decadente.

Este livro é inaceitável para aqueles que, neste ocaso melancólico e aflito da humanidade, se encontram “crescendo” e enriquecendo exatamente porque exploram e manobram, corrompem e esmagam as desgraçadas massas amorfas (os robôs humanos), que intoxicam as almas imaturas de adolescentes manipuláveis. Não é livro para os desalmados donos do poder, que o exercem execravelmente contra o bem comum.

É endereçado aos que decidiram melhorar o mundo e ajudar a humanidade, e para isso já assumiram os sacrifícios e desejam, sem qualquer vacilação, iniciar a reforma social a partir da melhora de si mesmos.

Gostaria que ele chegasse a ser aceito pelos que, ainda alienados, se deixam robotizar pelos manipuladores. Que atraí­sse a atenção dos que, infelizmente ainda, são súditos fiéis da propaganda, subservientes à massificação estupidificante, tecnológica e cruelmente exercida contra a liberdade e a dignidade deles mesmos.

Aqui está um conjunto de sugestões, provocações e desafios para um despertar, para uma re-visão de valores. Sugere mudanças. Convoca para um recomeço, uma re-ordenação.

As mensagens são curtas e incisivas. Todas se destinam a propor uma verticalização, que só é viável a partir de uma sincera conscientização.

Que possamos, você e eu, administrar bem o investimento que Deus faz em nós.

Que a Luz e a Paz se façam para você, libertando-o.

__/\__ Namaste,

Hermógenes.



Capa do livro Deus investe em você, do Professor Hermógenes.

Capa do livro Deus investe em você, do Professor Hermógenes.

Você, eu, todos somos administradores de talentos e dons.

Deus é o grande investidor.

A rentabilidade depende de nós.

A morte determina – não se sabe quando – a data do resgate.

Destinos diferentes são determinados pelos resultados colhidos no investimento.

Há alguma coisa mais importante do que aprender a arte de bem administrar os talentos de Deus?

“Deus investe em você”. E você, que administrador tem sido?


Texto extraído das páginas 7 a 12 da edição, de 1985, do livro Deus investe em você, de José Hermógenes, e digitado por Cristiano Bezerra em 17 de setembro de 2001.

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *