Suapralascar: a Saudação ao Sol nordestina

Compartilhe esse conteúdo com alguém...
0 Flares 0 Flares ×

Ashtangi nordestino, em desenho de Maurício Salém

Ashtangi nordestino, em desenho de Maurício Salém

» por Tales Nunes

Suapralascar do As-tanga Virilhasa Yoga1: módi que o cabra sua até a alma!

As-tanga Virilhasa, módi que tem uns cabra lá na Índia que usa aquelas tanga de pano, que parece fraldão, pra praticá, aquele pano relando nas virilha. Pense numa assadura!

1 – Coloque sua tanga de prática. Recomendo, por experiência pessoá, passá sebo de carneiro de morte morrida nas virilha, que é pru módi não assá.

2 – Estire a esteira de cizal no Sol de meio dia e rume ali em riba um mói de istrume de vaca, que é pru módi isterelizá.

3 – Em riba da esteira, junta os na postura da serra (montanha é lá na Índia). Parma das mão junta na frente das caixa dos peito. Contrai o baixo bucho, o períno e o ás de copas.

4 – Puxa o ar pelas venta e arriba os braço na mesma hora. Junta as parma das mão e olha pros cata piolho lá em riba.

5 – Solta o ar e desce com o tronco no rumo do chão, o bucho no rumo das coxa. Olha pra ponta da venta.

6 – Puxa o ar e deixa o tronco reto feito uma tauba de passá. Arriba a cabeça como se fosse olhá pro rumo do horizonte, só que fica zarolho.

7 – Agora é o mió: o pulo. Bota as mão no chão e rebola as perna sem pra trás.

8 – Cai com os quatro apoio no chão, os braço dobrado e a venta colada no mói de istrume da esteira.

9 – Puxa o ar pela boca pru módi não desmaiá e vai logo pro cachorro olhando pra riba.

10 – Solta o ar, cachorro olhando pro rumo do chão, cinco respiração.

11 – E ói o pulo de novo. Sem , feito saci, pula com as perna entre as mão. Tronco como tauba de passá.

12 – Solta o ar, bucho nas coxa.

13 – Puxa o ar, tronco e braço pra riba. Parma das mão junta, olha pros cata piolho. Solta os ar, parma das mão na frente das caixa dos peito.

14 – Esse foi o primeiro, se lasque mais 107 para chegá em 108.

15 – Se o cabra acabá vivo, mantreie: Om xenti, xenti, xentihi, eita cabrunco!


Artigo originalmente publicado em 13 de abril de 2006 em www.yoga.pro.br.

Tales Nunes

Tales Nunes

Tales Nunes, natural de Aracaju (SE), Nordeste do Brasil, é formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Sergipe. Em 2008 terminou o mestrado em Antropologia Social na Universidade Federal de Santa Catarina, com a dissertação Do corpo, a plenitude; do corpo à plenitude: o significado da experiência corporal em praticantes de Yoga. Ainda em 2008, lançou o livro O Yoga e o Ser, o qual traz frases, poesias e textos reflexivos sobre Yoga e sobre a vida. Tales pratica Yoga desde 1997. Em 1999 estudou, de maneira intensiva, Iyengar Yoga, no Iyengar Yoga Institute, na Califórnia. Posteriormente, participou de cursos intensivos em Ashtanga Vinyasa Yoga em Fortaleza e Salvador. Em 2005 participou do Curso Livre de Formação em Yoga com Pedro Kupfer. Desde então vive em Florianópolis, e participa anualmente do Yoga Sangam, em Mariscal. Atualmente dedica-se ao estudo de Vedanta com a Professora Gloria Arieira. Desde 2008, edita os Cadernos de Yoga e ministra Cursos de Formação em Florianópolis, Goiânia, Aracaju, Salvador, Brasília e Fortaleza.

Visite o site Vida de Yoga, do Tales, em www.vidadeyoga.com.br

  1. Versão nordestina da Saudação ao Sol do Ashtanga Vinyasa Yoga. []
Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Comentários

Suapralascar: a Saudação ao Sol nordestina — 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *