Quero felicidade total! Gloria Arieira e a visão de Vedanta

Compartilhe esse conteúdo com alguém...


Quero felicidade total! Vídeo n° 1 de Gloria Arieira, do Vidya Mandir, no canal Viva Melhor no YouTube

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

A grandeza do professor e do ensinamento

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Swami Dayananda (1930-2015)

Swami Dayananda (1930-2015)

» por Gloria Arieira (1953-), do Vidya Mandir

Bênção é uma palavra e um sentimento que vêm sempre à minha mente quando penso sobre a forma como fui parar na Índia, com a esperança de aprender Vedanta, que na realidade eu nem sabia o que era exatamente. Eu poderia ter encontrado qualquer professor, que poderia ter me ensinado algo que me fizesse mais confusa, ou então me orientado para uma devoção fanática. Algo que me fizesse perder a objetividade. E como poderia eu fazer algum julgamento e escolha?! Dentro da ignorância, como se pode discriminar para onde ir e com quem estudar?! Considero, portanto, que somente bênção, ou muito punya(1), levou-me ao Swami Dayanandaji. E quanto mais não foi necessário para que eu pudesse lá ficar até aprender completa e adequadamente!!

Swamiji é uma benção para todos os seus alunos, não só por ser compreensível, tolerante e carinhoso com todos, mas principalmente pela maneira clara com que ele ensina desde o começo, tornando claro o fato de Vedanta ser um meio de conhecimento, pramana, e não uma escola filosófica.

Veja MAIS »

  1. Virtude, mérito, bondade. (Nota do Digitador) []
Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Vida de Yoga, Vedanta e Surf

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Entrevista com Pedro Kupfer

Pedro Kupfer surfando
Cadernos de Yoga: Você praticou diferentes linhas de Hatha Yoga. Como se deu o processo de tirar o foco da prática do corpo para o estudo de Vedanta?

Pedro Kupfer: A bem da verdade, não tirei o foco da prática corpórea, pois nunca deixei de praticar Hatha Yoga. O que mudou foi a minha relação com essa prática. Antes, acreditava que se fosse um bom menino e praticasse todos os asanas, pranayamas e meditações, o samadhi iria acontecer em algum momento, como por arte de mágica. Evidentemente, depois de mais de 10 anos praticando intensamente e esperando o tão ansiado momento, vi que esse caminho não iria me levar a lugar algum.

A inquietude que não cessava, a vontade de compreender o porquê desse aparente fracasso e a inquebrantável confiança que sempre senti pelo Yoga, me levaram a buscar outras soluções. Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...