Asana, dor e alinhamento

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Cristiano Bezerra em preparatório do janusirshasasana na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Ana Lorena Magalhães

Cristiano Bezerra em preparatório do janusirshasasana na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Ana Lorena Magalhães

» por Pedro Kupfer (1966-), do yoga.pro.br

Há dois tipos de dor que você pode sentir numa prática de asana: uma positiva e outra negativa. A dor positiva é aquela que você sente nos músculos, e que é sinal de que está trabalhando e mexendo nas estruturas físicas, dando a si mesmo um novo corpo. A dor negativa é a que você sente nas juntas, no interior das articulações, e que significa que você está forçando demasiado, fazendo os exercícios sem alinhamento ou praticando sem atenção ou sem a atitude mental correta. Se você tiver um corpo extremadamente flexível, precisa redobrar esses cuidados. Uma opção é trabalhar dentro da margem de segurança, evitando quaisquer exageros (recomendada para pessoas muito flexíveis). A outra, igualmente válida, seria trabalhar no limiar, no ponto onde o prazer se transforma em dor (mais adequada para pessoas não tão flexíveis assim). Nesse último caso, se pede atenção redobrada para evitar acidentes.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Como escolher um bom professor de Yoga?

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Pedro Kupfer ministrando aula na Formação em Yoga em Mariscal, SC

Pedro Kupfer ministrando aula na Formação em Yoga em Mariscal, SC

» por Pedro Kupfer (1966-), do yoga.pro.br

Antes de mais nada, é preciso ter claro o que você quer da prática. Os objetivos mudam de pessoa para pessoa. Lembre que existem muitas formas diferentes de Yoga. Você pode querer praticar impelido por uma destas motivações:

1) para melhorar a qualidade de vida ou combater o estresse;
2) para se manter em forma usando um método não convencional;
3) buscando um treinamento físico rigoroso, exigente e energético;
4) para tratamento terapêutico ou por indicação médica;
5) procurando um caminho para o auto-conhecimento e a transcendência.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Acharya

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Shankaracharya (788-820 d.C.) e seus discípulos

Shankaracharya (788-820 d.C.) e seus discípulos

» por Gloria Arieira (1953-), do Vidya Mandir

A palavra sânscrita acharya é geralmente traduzida por “professor” ou “mestre”. Frequentemente é acrescentada ao nome de uma pessoa, denotando respeito, como no caso de Shankaracharya (788-820 d.C.).

Acharya deriva da raiz car, que significa “seguir” ou “fazer com que outros sigam”. A esta raiz vem prefixado a, significando “completamente ou totalmente”, e, no final, acrescenta-se o afixo nominal de agente nyatya, que quer dizer “aquele que”. Esses elementos juntos formam a palavra acharya, cujo significado é “aquele que segue as escrituras (dharma) completamente” e/ou “aquele que leva os outros a segui-las”. Assim, a palavra implica em mais do que a mera tradução “professor”; significa também aquele que segue o que ensina. Por aí se vê que há dois aspectos básicos do significado de acharya: por um lado, ele é aquele que ensina; por outro, é o exemplo daquilo que ensina.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

O templo do Yoga

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

» por Pedro Kupfer
Templo hindu em Nova Délhi
O Yoga é como um templo: uma belíssima construção feita dos mais nobres materiais. Esse templo é o produto da contribuição de inúmeras gerações de sábios e yogis, que deram o melhor de si mesmos para essa obra. É o resultado de visões e revelações dos mestres ancestrais sobre o sentido da existência e como realizar nesta vida as mais altas aspirações humanas. Esse templo recebeu o fruto de milhares de praticantes silenciosos que o enriqueceram com suas dádivas. Apesar das inúmeras mãos, conhecidas e anônimas, que levantaram o prédio ao longo das gerações, é visível uma perfeita unidade na estrutura, já que o objetivo final do Yoga sempre foi a prioridade de todos esses artífices.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...