Prefácio do livro Guia de Meditação

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Professor Hermógenes (1921-2015) em 1999

Professor Hermógenes (1921-2015) em 1999

» por Professor Hermógenes (1921-2015)

Difícil é para mim comentar o Guia de Meditação, do prof. Pedro Kupfer. Sinto-me um pai a dar opinião sobre um trabalho de um filho amoroso e amado. Ele se esmera em tudo o que faz, e faz muitas coisas admiráveis. Sinto-me um pai espiritual. Ele me adotou. Me chama de Pitaji, que em sânscrito significa pai querido. Prefaciar mais um livro de um filho não me constrange, pois o que direi é pura verdade, reconhecida pelos muitos que vêm estudando suas obras.

Além de brilhar na literatura científica do Yoga, Pedro se destaca também nos esportes. Algumas vezes, bancando lagartixa atlética, usando somente os músculos e as unhas, escalando o Pão de Açúcar e outras montanhas altíssimas em outros países. Também é hábil surfista. É um exemplar professor de Yoga. Pratica os asanas mais desafiadores com uma perfeição que causa inveja ao contorcionista do circo chinês. Organiza e dirige, com excepcional eficiência, aulas, conferências, cursos, seminários e encontros nacionais de Yoga.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Palavras de sabedoria

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Entrevista com Sri Ramana Maharshi

Sri Ramana Maharshi (1878-1950 d.C.)Ramana Maharshi foi considerado por muitos um dos maiores sábios do nosso tempo. Viveu na Índia, de 1879 a 1950, e nele se notava total ausência de distinção entre homens e mulheres, entre castas, credos, raças e religiões, entre um príncipe e um lavrador, e entre um asceta e um pai de família. Seu sentido de igualdade ia além dos seres humanos e abrangia animais e plantas. Ele acreditava que cada criatura, desde o homem até o menor dos insetos, é manifestação do Ser Supremo, do Único Imperecível.

Ramana Maharshi nada queria de ninguém. Estava inteiramente satisfeito com a plenitude do Ser Supremo. De seu espírito emanava silenciosa onda magnética capaz de estimular grandes transformações e importantes descobertas interiores nos demais. Permanecia em silêncio a maior parte do tempo. Mas, às vezes, ao responder às perguntas dos visitantes, deixava entrever, também em palavras, sua sabedoria.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Ramana Maharshi, o santo hindu

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

» por Carl Gustav Jung (1875-1961) 1

Sri Ramana Maharshi (1878-1950 d.C.)Heinrich Zimmer vinha se interessando há muitos anos pelo Maharshi de Tiruvannamalai, e a primeira pergunta que me fez, quando voltei de minha viagem à Índia, foi a respeito desse novo santo e sábio da Índia Meridional. Não sei se meu amigo considerava um pecado imperdoável, ou pelo menos incompreensível, de minha parte, o fato de não ter ido visitar Sri Ramana. Minha impressão era de que dificilmente ele teria deixado de fazer tal visita, tão calorosa era a sua participação na vida e no pensamento desse santo. Isso não me surpreendia, porquanto eu sabia com que profundidade Zimmer penetrara no espírito da Índia. Seu mais ardente desejo, que era o de ver a Índia pessoalmente em sua realidade, infelizmente não chegou a materializar-se, e a oportunidade que teve para isso desvaneceu-se às vésperas da Segunda Guerra Mundial. Ele possuía uma visão grandiosa da Índia espiritual. Veja MAIS »

  1. Introdução a Heinrich Zimmer, Der Weg zum Selbst. Lehre und Leben des indischen Heiligen Shri Ramana Maharshi aus Tiruvannamalei, Zurique 1944. []
Compartilhe esse conteúdo com alguém...