Asana, dor e alinhamento

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Cristiano Bezerra em preparatório do janusirshasasana na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Ana Lorena Magalhães

Cristiano Bezerra em preparatório do janusirshasasana na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Ana Lorena Magalhães

» por Pedro Kupfer (1966-), do yoga.pro.br

Há dois tipos de dor que você pode sentir numa prática de asana: uma positiva e outra negativa. A dor positiva é aquela que você sente nos músculos, e que é sinal de que está trabalhando e mexendo nas estruturas físicas, dando a si mesmo um novo corpo. A dor negativa é a que você sente nas juntas, no interior das articulações, e que significa que você está forçando demasiado, fazendo os exercícios sem alinhamento ou praticando sem atenção ou sem a atitude mental correta. Se você tiver um corpo extremadamente flexível, precisa redobrar esses cuidados. Uma opção é trabalhar dentro da margem de segurança, evitando quaisquer exageros (recomendada para pessoas muito flexíveis). A outra, igualmente válida, seria trabalhar no limiar, no ponto onde o prazer se transforma em dor (mais adequada para pessoas não tão flexíveis assim). Nesse último caso, se pede atenção redobrada para evitar acidentes.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Asana: pensando com o corpo

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Pedro Kupfer em chakorasana

Pedro Kupfer em chakorasana

» por Pedro Kupfer (1966-), do yoga.pro.br

A filosofia hindu afirma que na matéria existe consciência e que na consciência existe matéria. O Yoga quer pensar com o corpo: através da experimentação, os yogis da antiguidade descobriram que fazer exercícios físicos de forma ritual traz enormes conseqüências metafísicas. O yogi busca a inteligência que está escondida no corpo, a consciência que está escondida no corpo: esse é o ponto de partida para poder achar a verdadeira identidade.

Esses exercícios se chamam asanas em sânscrito: são um conjunto de técnicas altamente instigantes e desafiadoras, que podem exigir tudo no plano físico, mas que não são um fim em si mesmas. Pode-se dedicar uma vida inteira aos asanas, e nem por isso estará se fazendo Yoga. O que faz a diferença é a atitude que está por trás dos exercícios. E, com a atitude correta, vem uma série de coisas junto: alinhamento, inteligência corporal, respiração consciente, despertar das experiências do corpo sutil, transformação do organismo, num processo que poderíamos chamar de alquimia corporal.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Yoga e qualidade de vida

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Cristiano em padmasana, a postura da flor de lótus, na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Ana Lorena Magalhães

Cristiano em padmasana, a postura da flor de lótus, na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Ana Lorena Magalhães

» por Marcos Rojo

Temos sido bombardeados por uma série de conceitos que acabam perdendo seu sentido principal. Li num jornal: “a casa foi roubada holisticamente”. Numa referência de a terem roubado por inteiro, ou seja, tudo. Assim como o termo “holístico”, podemos dizer que a expressão “qualidade de vida” se desgastou. Tudo virou motivo para se falar em qualidade de vida. Seu significado virou sinônimo de vida com equilíbrio entre trabalho e descanso, dieta balanceada, exercícios, pouco tempo no trânsito e um pouco de meditação.

Contudo, tenho observado que, na prática, é quase impossível, principalmente para aqueles menos favorecidos financeiramente, ter realmente qualidade de vida. Eles não têm como ficar menos no trânsito. Exercícios físicos, só se for nos momentos de faxina. A alimentação é marmita. E meditação? Nem pensar. Por outro lado, também percebo que muitos dos que conseguem adquirir hábitos saudáveis também não estão garantidos com a tal da qualidade de vida. Tenho visto empresários que praticam exercícios, mas que andam estressados. Pessoas que não têm problemas com dinheiro, mas que andam nos consultórios fazendo terapias.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Saúde, uma responsabilidade diária

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

» por Arjun Das

Predominância dos doshas ao longo do dia

Predominância dos doshas ao longo do dia

O Ayurveda é rico em orientações práticas, oferecendo diretrizes para a manutenção do bem estar no dia a dia e conservando o seu estado de saúde e vigor.

De acordo com o Ayurveda e o Yoga, a harmonia é o nosso estado natural de ser. Portanto, nada mais importante do que viver preservando essa plataforma.

Svasthavrtta significa “regime de respeito à própria natureza”, e é, com a devida visão, o ponto máximo do Ayurveda, pois é justamente com o foco na conservação de uma condição saudável que o indivíduo conseguirá uma condição plena. Embora esteja claro que o Ayurveda possui um largo leque de terapias, nada mais vital para esse sistema do que conceder informações pertinentes para a pessoa/comunidade, orientando-a sobre como evitar estar em uma condição que venha precisar de intervenção terapêutica. Assim, fica evidente a importância que a prevenção assume dentro desse sistema.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...