Ashtanga Yoga, o Yoga de Patañjali

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Patañjali

Patañjali


» por Pedro Kupfer (1966-), do yoga.pro.br

Ashtanga Yoga é o sistema organizado pelo sábio Patañjali no Yoga Sutra. Esse sistema tem oito (ashta) partes (angas): yama, niyama, asana, pranayama, pratyahara, dharana, dhyana e samadhi.

As duas primeiras partes, yama e niyama, são as proscrições (não ferir, não mentir, não roubar, não desvirtuar a sexualidade e não cobiçar nem se apegar), e prescrições (pureza, contentamento, austeridade, auto-estudo e auto-entrega ao Senhor) éticas.

Asana, o terceiro estágio, são as posturas físicas e o trabalho sobre o corpo. A posição correta permite a prática de pranayama e pratyahara, os próximos passos.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

A Páscoa na visão do Vedanta

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Jesus de Nazaré (4 a.C. – 30 d.C.), o Cristo

Jesus de Nazaré (4 a.C. – 30 d.C.), o Cristo

» por Andrês De Nuccio, do Instituto Ísvara, de Campinas (SP)

Vedanta é uma tradição que vem preservando e transmitindo, de geração a geração, o conhecimento da real natureza daquela parte de nosso ser que chamamos de Eu.

Num sentido amplo, Vedanta é todo ensinamento que leve o estudante a uma apreciação correta de sua própria natureza.

A nossa cultura nos transmitiu conceitos a respeito do que somos, através de nossos pais, professores e adultos significativos na infância, e através da televisão, jornais, e demais mídias formadoras de opinião na vida adulta.

Ao longo da nossa vida, fomos construindo respostas para a pergunta básica e fundamental: “quem sou eu?”. E essas respostas nos levam a viver do modo como estamos vivendo.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Vegetarianismo e Yoga

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

» por Pedro Kupfer (1966-), do yoga.pro.br

Muita gente se pergunta o porque da dieta vegetariana que nós yogis praticamos. Às vezes fica difícil discernir os motivos pelos quais o vegetarianismo é adotado sem uma compreensão mais profunda desses motivos. O discernimento e a compreensão são valores fundamentais para exercermos nossa liberdade. O yogi consciente não se torna vegetariano cegamente, porque alguém mandou, ou “porque assim se faz há milênios”. O yogi consciente adota o vegetarianismo como um corolário do processo de compreensão da realidade da vida e do papel que o homem exerce no planeta.

Este texto tem o propósito de contextualizar a prática do Yoga na cultura hindu, de maneira que a pergunta sobre o porque do vegetarianismo possa ser devidamente respondida. Ao mesmo tempo, o presente artigo pretende ser uma fonte de reflexão e recursos para aqueles que, havendo incorporado algumas das práticas yogikas em suas vidas, se sintam curiosos ou preparados para darem esse passo em relação à alimentação.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...