Introdução ao Yoga Sutra

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Patañjali

Patañjali


» por Mauricio Wolff

Historicamente, a base de todas as diversas abordagens de Yoga é o Yoga Sutra, que representa o resumo de muitas gerações de cultura yogika. Patañjali não criou o Yoga, mas limitou-se a sintetizar o conhecimento védico. Essa obra foi composta entre os séculos II a.C. e IV d.C.

Segundo Krishnamacharya, todos os conceitos do Yoga Sutra podem ser encontrados separadamente nos Vedas, nas Upanishads, no Samkhya Karika e em outros shastras.

Essa obra, desenvolvida posteriormente por numerosos comentários, forma o texto base do Yoga como Darshana, isto é, um dos seis pontos de vista indianos sobre a Realidade última e os modos de aproximar-se dessa Realidade.

São ao todo 195 aforismos (sutras) que integram quatro livros:

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Uma outra maneira de ver os chakras

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Chakras em um yogi

Chakras em um yogi

» por Tales Nunes

Sempre ouvimos que os chakras deveriam ser visualizados ou sentidos. Como não conseguimos vê-los ou senti-los em toda a complexidade que é apresentada pelo Tantra, propomos interpretá-los de uma maneira diferente. Sugerimos, neste artigo, apenas pensarmos sobre os chakras.

Acreditamos que o caminho à iluminação proposto pela prática tântrica pode ser pensada como uma simbologia da nossa própria trajetória de vida e da nossa busca pessoal pela espiritualidade, ou melhor, pela liberação.

De acordo com o Vedanta, independentemente de etnia, nacionalidade ou crença, são quatro as buscas dos seres humanos: artha (segurança), kama (prazer), dharma (o correto agir) e moksha (a libertação).

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Yoga é Yoga, não é união

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Professor Hermógenes (1921-2015) no programa Sempre Um Papo, de Belo Horizonte (MG), em 3 de abril de 2009

Professor Hermógenes (1921-2015) no programa Sempre Um Papo, de Belo Horizonte (MG), em 3 de abril de 2009

» por Vitor Caruso Jr, do blog do Ciência Meditativa

Certa vez, o Professor Hermógenes (1921-2015) disse, em um encontro no espaço da Profª. Monserrat: “Devemos sim ser amorosos, mas não devemos abraçar um porco-espinho”.

O que isso quer dizer? Devemos nos unir a açougueiros, pecuaristas, políticos corruptos, gangues de rua, grupos neo-nazistas, seitas ou falsos líderes espirituais?

A tradução da palavra Yoga apenas como “união” leva algumas pessoas à errônea interpretação de que temos que abraçar a todos.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...