Suapralascar: a Saudação ao Sol nordestina

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Ashtangi nordestino, em desenho de Maurício Salém

Ashtangi nordestino, em desenho de Maurício Salém

» por Tales Nunes

Suapralascar do As-tanga Virilhasa Yoga1: módi que o cabra sua até a alma!

As-tanga Virilhasa, módi que tem uns cabra lá na Índia que usa aquelas tanga de pano, que parece fraldão, pra praticá, aquele pano relando nas virilha. Pense numa assadura!

Veja MAIS »

  1. Versão nordestina da Saudação ao Sol do Ashtanga Vinyasa Yoga. []
Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Hatha Yoga, uma ginástica…

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Professor Hermógenes em padmasirshasana na década de 1960

Professor Hermógenes em padmasirshasana na década de 1960

» por José Hermógenes (1921-)

Praticar ginástica é cada dia mais necessário, principalmente àqueles que vivem numa grande cidade, desempenhando ocupações sedentárias. As pessoas vivem em regime de sobrecarga para a mente, provocada por preocupações e problemas de toda espécie, desde a falta de empregadas domésticas até a iminência de um conflito nuclear, desde a dificuldade de transporte até a alta incessante do custo de vida… Por outro lado, há também a sobrecarga para o pobre organismo (nervos, músculos…), porque é preciso trabalhar em mais de um emprego a fim de não sucumbir às condições aflitivas do orçamento. O excessivo desgaste físico e mental conduz o homem a encher a casa de quinquilharias que a técnica fabrica para dar-lhe mais comodidade à vida, e também o leva a correr à caça de múltiplos divertimentos excitantes. As ocupações rotineiras e sedentárias o fadigam. A efervescência político-social o neurotiza. As comodidades o amolecem. Os divertimentos quase sempre o fatigam. Raramente consegue o homem moderno repousar e recuperar-se. Isso é coisa que somente durante as férias anuais poucos conseguem.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Paschimottanasana nordestino

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

paschimottanasana nordestino, desenho de Maurício Salém» por Tales Nunes

1 – Sentado, com os cambito estirado pra frente, arregaça as banda das nádega pros lado, pregando os ossinho dos quarto no chão.

2 – Puxando o ar pelas venta, estira a espinha pra riba, os ombro vão pra baixo, diminuindo as cava das saboneteira.

3 – Soltando o ar pelas venta, desce a espinha estirada pra frente, segura com os dedo fura bolo e maior de todos o dedão do pé.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...