Exercícios respiratórios básicos

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Cristiano Bezerra respirando em vajrasana, a postura do diamante, na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Cristiane Brito.

Cristiano Bezerra respirando em vajrasana, a postura do diamante, na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Cristiane Brito.

» por Pedro Kupfer (1966-), do yoga.pro.br

As técnicas descritas a seguir servirão como treinamento básico para dominar e ampliar a mecânica da respiração. Poderão fazer-se independentemente umas das outras ou obedecendo à sequência sugerida. Todas elas podem ser aplicadas durante a prática dos asanas, o que irá potencializar os seus efeitos. Siga cuidadosamente estas instruções e consulte o seu instrutor caso tenha dúvidas a respeito.

1 – Adhama pranana, a respiração abdominal

A primeira etapa na prática de pranayama é disciplinar a respiração baixa ou abdominal. Pode ser feita deitado em decúbito dorsal ou sentado com as costas eretas. Procure fazê-la enquanto vamos descrevendo.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Benefícios de bhujapidasana, a postura da pressão sobre os braços, segundo Lino Miele

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Bhujapidasana, a postura da pressão sobre os braços, em desenho por John Scott

Bhujapidasana, a postura da pressão sobre os braços, em desenho por John Scott



» por Lino Miele

Bhujapidasana, a postura da pressão sobre os braços, limpa o esôfago (Anna Mala).

Aumenta a força dos pulsos e dos braços, conferindo equilíbrio e leveza à postura.

De início, os principiantes tocarão a testa no chão.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

O aperfeiçoamento do asana

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

» por Marilda Velloso
Katia Dacosta em utthita trikonasana
É muito comum ouvir-se falar nas escolas de Yoga: “Fulano faz asanas tão bem!”…

Claro que a pessoa que assim se expressa fala do “desenho” do asana, isto é, que o asana, em seu momento de estabilidade, mostra-se exatamente igual ao que vemos em fotos ou desenhos nos livros de Yoga.

É muito desejável chegar-se a este ponto de “perfeição”, pois significa que o praticante está com o seu potencial ósseo-muscular em perfeitas condições e que nenhum problema fisiológico o impede de praticar o asana em questão.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...