O controle das palavras

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Mira Alfassa (1878 - 1973), A Mãe

Mira Alfassa (1878 – 1973), A Mãe

» por Mira Alfassa, A Mãe (1878 – 1973)

Na Terra, o homem é o primeiro animal capaz de servir-se de sons articulados. Ele é muito orgulhoso disso. Aliás, se utiliza dessa capacidade sem medida nem discernimento. O mundo está ensurdecido pelo ruído de suas palavras, mas às vezes se é tentado a lastimar o silêncio harmonioso do reino vegetal.

O constante zumbido das palavras parece o acompanhamento indispensável das tarefas cotidianas. No entanto, logo que se procura reduzir o ruído ao mínimo, percebe-se que muitas coisas são feitas melhor e mais rápido no silêncio, e que isso ajuda a manter a paz interior e a concentração.

Se você não é sozinho e vive com outros, adquira o hábito de não se exteriorizar constantemente em palavras pronunciadas em voz alta, e você perceberá que, pouco a pouco, uma compreensão interior se estabelece entre você e os outros; poderá então intercomunicar-se reduzindo as palavras ao mínimo, ou mesmo em palavra alguma.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Afirmações científicas de Paramahansa Yogananda

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Paramahansa Yogananda (1893 - 1952)
» por José Hermógenes (1921-)

Encontrei em Paramahansa Yogananda (1893 – 1952)1 aquilo que, não deixando de ser linda poesia, poderíamos conceituar como uma oração yogika, uma prece perfeita.

Transforme-a o leitor em ritual diário.

Repita-a. Faça com que ela penetre em todos os planos da consciência. Viva-a com a integridade de seu ser.

Veja MAIS »

  1. Adaptação de Afirmaciones Científicas para Curación (Scientific Healing Affirmations), Editorial Kier, Buenos Aires. []
Compartilhe esse conteúdo com alguém...

A ciência do Kriya Yoga

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

por Paramahansa Yogananda (1893 – 1952)

Paramahansa Yogananda (1893 - 1952) em padmasanaA ciência do Kriya Yoga, mencionada tantas vezes nas páginas da Autobiografia de um Yogi, tornou-se amplamente conhecida, na Índia moderna, por intermédio de Lahiri Mahasaya, guru de meu guru. A raiz sânscrita de kriya é kri, fazer, agir, reagir; a mesma raiz se encontra na palavra karma, o princí­pio natural de causa e efeito. Assim, Kriya Yoga é “união (Yoga) com o Infinito por meio de certa ação ou rito (kriya)”. Um yogi que pratica fielmente essa técnica liberta-se gradualmente do karma ou da legí­tima cadeia de equilí­brio entre causas e efeitos.

Em virtude de antigas imposições yogikas, não me é permitido dar uma explicação completa do Kriya Yoga em um artigo destinado ao público em geral. A verdadeira técnica deve ser aprendida de um Kriyaban (Kriya Yogi), autorizado pela Self-Realization Fellowship / Yogoda Satsanga Society of India 1. Aqui me limitarei a certas referências.

Kriya Yoga é um método simples, psicofisiológico, pelo qual o sangue humano se descarboniza e volta a oxigenar-se. Os átomos desse extra-oxigênio transmutam-se em corrente vital para rejuvenescer o cérebro e os centros da espinha. Sustando a acumulação de sangue venoso, o yogi pode diminuir ou evitar a degeneração dos tecidos. O yogi adiantado transmuta suas células em energia. Elias, Jesus, Kabir e outros profetas foram, no passado, mestres no uso de Kriya ou de uma técnica similar, pela qual eles materializavam ou desmaterializavam seus corpos à vontade.

Veja MAIS »

  1. Paramahansa Yogananda concedeu, aos que o sucederiam como presidentes e lí­deres espirituais de sua associação (Self-Realization Fellowship / Yogoda Satsanga Society of India), a autoridade de dar instruções e iniciação aos estudantes qualificados para receber o Kriya Yoga, ou para designarem um ministro religioso ordenado pela SRF/YSS. Também providenciou a divulgação perpétua da ciência do Kriya Yoga através das Lições da Self-Realization Fellowship (Yogoda), disponí­veis na Sede Central da SRF em Los Angeles. (Nota da Editora) []
Compartilhe esse conteúdo com alguém...