Criar bons hábitos e destruir maus hábitos

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Cristiano em vajrasana, a postura do diamente, na sala de Yoga do Ar+Zen » foto por Cristiane Brito

Cristiano em vajrasana, a postura do diamente, na sala de Yoga do Ar+Zen » foto por Cristiane Brito

» por Paramahansa Yogananda (1893 – 1952)

A mente pode lhe dizer que você é incapaz de libertar-se de um hábito em especial, mas os hábitos são apenas repetições de seus próprios pensamentos, e, esses, você tem a capacidade de mudar. A maioria das pessoas que decide parar de fumar ou de comer doces em demasia continua a realizar tais atos, malgrado seu. Elas não mudam, porque as suas mentes, como esponjas, absorveram os seus hábitos de pensar. Hábito significa que a mente acredita não poder se livrar de determinado pensamento. O hábito é tenaz, sem dúvida. Uma vez praticado, um ato deixa um efeito ou impressão na sua consciência. Como resultado dessa influência, você tem probabilidade de repetir esse ato.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Yoga não é ginástica e ginástica não é Yoga

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Professor Hermógenes em badhapadmasana na década de 1960

Professor Hermógenes em badhapadmasana na década de 1960

» por José Hermógenes (1921-)

Desde seu lançamento, em 1960, meu livro Autoperfeição com Hatha Yoga exibe, na página 421, o cabeçalho: Hatha Yoga, uma ginástica…. Estaria eu me contradizendo? Se o leitor passar quatro páginas, vai ler outro cabeçalho: …diferente da ginástica ocidental. Se alguém citar somente a página 42, pretendendo provar que eu afirmo ser o Hatha Yoga uma ginástica, estará sofismando, pois quando se faz uma citação de um texto fora do contexto é por mero pretexto. Das páginas 46 a 48 explico bem as diferenças que não permitem tornar o Hatha Yoga como uma ginástica entre outras.

Veja MAIS »

  1. Da 47ª edição, de 2007 (nota do Editor). []
Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Técnicas e métodos para o despertar da consciência

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Entrevista com Robert Broughton

www.robertbroughton.comCristina – Quais são as suas técnicas e métodos?

Robert – Essa questão “quais são as suas técnicas e métodos”, assim formulada, é compreensí­vel, porque essa é a maneira que nós fomos condicionados desde crianças; a maneira como nós vivemos é mais conectada com fazer do que com ser. Então somos orientados para métodos e técnicas em relação a tudo. E a melhor coisa que uma técnica e um método podem fazer é dar uma experiência temporária do que está além da mente. Assim que você termina de praticar o método ou a técnica, a mente volta imediatamente. E essa maneira de viver orientada em métodos e técnicas tem a sua utilidade. Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...