Hatha Yoga e vertigem

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Cristiano em variação de parivrtta hasta padangusthasana, uma postura de equilíbrio com torção, na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Ana Lorena Magalhães

Cristiano em variação de parivrtta hasta padangusthasana, uma postura de equilíbrio com torção, na sala de Yoga do Ar+Zen. Foto por Ana Lorena Magalhães


» por Dr. Luís Mário Duarte

É muito comum encontrarmos alunos que advertem aos seus professores de Hatha Yoga que sofrem de “labirintite”, querendo dizer, na verdade, que sofrem de vertigem.

A vertigem é o sintoma cardinal de uma doença vestibular (sistema responsável pelo equilíbrio do corpo). A vertigem é a sensação de movimento quando este não existe ou uma sensação exagerada de movimento em resposta a um dado movimento do corpo. Vertigem não é apenas uma sensação de rodopio ou giro, mas também uma sensação de movimento pendular lateral ou queda para frente ou para trás, ou ainda de que o chão está rodando abaixo dos pés. A vertigem deve ser distinguida do desequilíbrio, da sensação de leveza da cabeça e da síncope (perda abrupta da consciência seguida de queda). A vertigem pode resultar de uma vestibulopatia periférica ou central.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Benefícios de trikonasana, a postura do triângulo, segundo Lino Miele

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Utthita trikonasana e parivrita trikonasana, em desenho por John Scott

Utthita trikonasana e parivrita trikonasana, em desenho por John Scott

» por Lino Miele

Estes asanas (utthita trikonasana, postura do triângulo estendido, e parivrita trikonasana, postura do triângulo torcido) reduzem a gordura ao redor da cintura.

Fortalecem as costas, os quadris e as pernas.

Se existirem desvios no alinhamento postural, ajudam a realinhar o sistema do esqueleto.

Melhoram a digestão, aliviam a prisão de ventre, corrigem dificuldades respiratórias e problemas correlacionados.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Bandhas no Ashtanga Vinyasa Yoga

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Śri Tirumalai Krsnamacharya (1888-1989)
por Cathia Karin Heuser

Bandhas são fechos que evitam a dispersão da energia e ao mesmo tempo conduzem-na para alguma região especí­fica.

Os três mais importantes são: jalandhara bandha, uddiyana bandha e mula bandha. Jalandhara bandha envolve o pescoço, elevar a espinha e deixar toda a coluna ereta. Uddiyana bandha localiza-se na na área entre o diafragma e o chão pélvico. Mula bandha envolve a área entre o abdômen e o chão pélvico.

Os três bandhas podem ser aplicados ou sentidos tanto na inspiração quanto na expiração. Em ambos os casos, o movimento da energia é ascendente (na coluna), transformando o movimento rotineiro apânico (descendente).

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...