Ashtanga Vinyasa Yoga, primeira série: nomenclatura dos asanas

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Asanas da primeira série do Ashtanga Vinyasa Yoga

Asanas da primeira série do Ashtanga Vinyasa Yoga

» pelo Staff do yoga.pro.br

Saudações ao Sol

Surya namaskar: Surya = Sol, namaskar = saudação; saudação ao Sol

Dentro dos surya namaskar A e B há as seguintes posturas:

Samasthitih: sama = igual, sthitih = ficar firmemente ereto; postura equilibrada e estável

Uttanasana: uttana = alongamento intenso; postura de alongamento intenso posterior (para a frente)

Chaturanga dandasana: chatur = quatro, anga = membros, danda = bastão; postura do bastão com apoio em quatro membros

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Gomukhasana, segundo Gustavo Ponce

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Go, “vaca”; mukha, “cara”; asana, “postura”

Cristiano Bezerra em gomukhasana
» por Gustavo Ponce

Lesões nos joelhos são muito comuns, devido ao desgaste natural a que estão expostos, pois devem suportar o peso do corpo enquanto caminhamos ou estamos de pé. Esta postura alivia tensões acumuladas nos joelhos e, ao mesmo tempo, abre os quadris e flexibiliza os ombros. Muitas pessoas que experimentam pela primeira vez essa postura podem encontrar dificuldades devido à forte sensação de abertura nos quadris.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Bandhas no Ashtanga Vinyasa Yoga

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Śri Tirumalai Krsnamacharya (1888-1989)
por Cathia Karin Heuser

Bandhas são fechos que evitam a dispersão da energia e ao mesmo tempo conduzem-na para alguma região especí­fica.

Os três mais importantes são: jalandhara bandha, uddiyana bandha e mula bandha. Jalandhara bandha envolve o pescoço, elevar a espinha e deixar toda a coluna ereta. Uddiyana bandha localiza-se na na área entre o diafragma e o chão pélvico. Mula bandha envolve a área entre o abdômen e o chão pélvico.

Os três bandhas podem ser aplicados ou sentidos tanto na inspiração quanto na expiração. Em ambos os casos, o movimento da energia é ascendente (na coluna), transformando o movimento rotineiro apânico (descendente).

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...