Benefícios de marichyasana, a postura de Marichi, segundo Lino Miele

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Marichyasana A, em desenho por John Scott

Marichyasana A, em desenho por John Scott

» por Lino Miele

É possível aliviar e prevenir parinaama schoola (úlceras, tanto do estômago como do duodeno), provenientes de hábitos alimentares irregulares e de tensão mental, por meio desses asanas.

Digestão inadequada e ineficiente, causadora de prisão de ventre (malabaddata) e de flatulência, está relacionada a uma disfunção de samana vayu e apana vayu.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Nadi shodhana pranayama, o pranayama nas escrituras clássicas do Hatha Yoga

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

yogi praticando nadi shodhana pranayama
» por Miguel Homem

Vimos dar iní­cio a um estudo comparativo de alguns pranayamas em textos clássicos do Hatha Yoga, o Hatha Yoga Pradipika, o Gheranda Samhita e o Śiva Samhita, com o que se pretende dar a conhecer parte daqueles textos, bem como familiarizar o praticante com a linguagem dos shastras.

O nadi shodhana pranayama é vulgarmente conhecido como a respiração alternada. A sequência base desse pranayama é feita da seguinte forma:

a) colocar as mãos em jñana mudra, visnu mudra, nasagra mudra ou outro;
b) obstruir a narina direita ou preferencialmente logo acima da narina, bloqueando a passagem do ar;
Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

Kumbhaka bandha pranayama

Compartilhe esse conteúdo com alguém...

» por Pedro Kupfer

Adrian Vilas Bôas praticando pranayamaA palavra kumbha ou kumbhaka significa cântaro. Kumbhaka bandha é a respiração completa, com ritmo e contrações. É um dos exercí­cios mais importantes do Yoga, tendo uma forte atuação nos órgãos internos, glândulas endócrinas e plexos nervosos. O mais importante desta técnica, porém, não está em seu efeito fisiológico, senão no plano sutil, no estímulo produzido no corpo energético. Proporciona o bhuta shuddhi, a purificação dos elementos corporais, considerada condição sine qua non para o despertar da kundalini.

Sentado em atitude receptiva, mantenha a coluna vertebral ereta, visualizando-a como se fosse uma quantidade de moedas empilhadas cuidadosamente umas sobre as outras. Deixe as mãos em jñana mudra, unindo os polegares e indicadores.

Veja MAIS »

Compartilhe esse conteúdo com alguém...